Honda trabalha em motor de injeção direta para a Africa Twin

Publicado por Standocasião há 1 ano

A Honda está a trabalhar num propulsor de injeção direta para a CRF1100L Africa Twin, revelam esboços de patente agora revelados. A versão do próximo ano da mota deverá ter uma cilindrada aumentada para 1.084 centímetros cúbicos e potência máxima de 101cv, mas no futuro esperam-se novidades ainda maiores.


Segundo o site bennetts.co.uk, as patentes em causa respeitam a uma versão do motor de dois cilindros paralelos com mais alterações, incluindo novo cabeçote de cilindro e injeção direta de combustível com os injetores a dispararem diretamente para a câmara de combustão. Este é um tipo de tecnologia tem sido complicado de adaptar a motores de motas, mas tem benefícios vários, como por exemplo ao nível dos limites de emissões.


Mais implementada nos carros, a injeção direta separa as funções de entrada de ar no motor através da válvula de admissão e da injeção de combustível. Com a injeção indireta, é possível que saia combustível por queimar para o escape, o que se reflete negativamente nas emissões poluentes. Neste aspeto, a injeção direta mantém o ar e o combustível separados tanto tempo quanto possível – só passa ar fresco pela válvula de admissão e o combustível pode ser acrescentado já depois da válvula de escape ter fechado.


Em todo o caso, nas motas é complicado aplicar a injeção direta devido ao tipo de rotações elevadas que as motos tendem usar. Estas novas patentes submetidas pela Honda mostram que a marca está a trabalhar na tecnologia em causa podendo-a aplicar na Africa Twin futuramente – ainda que os rumores não apontem nesse sentido já para 2020.


Anuncios Recentes

Ver Todos