Galp

Land Rover Discovery renovado. Em Fevereiro a partir €86 095

Publicado por Standocasião há 3 semanas

O Discovery é mais um dos muitos modelos do Grupo Jaguar Land Rover a receber uma actualização em 2020. Tal como os seus congéneres, além dos inevitáveis estilísticos, recebe melhorias no domínio da conectividade e, sobretudo, da oferta de motores, que passam a integrar unidades revistas por forma a, na sua maioria, cumprirem já com as mais recentes normas de protecção ambiental.


Esteticamente, a Land Rover assegura que o seu emblemático SUV de sete lugares conta com um visual mais personalizado do que nunca. O que será garantido por elementos como os novos faróis por LED, com luzes diurnas incorporadas na zona inferior; a grelha com padrão de favo de mel, com acabamento na mesma cor do anagrama Land Rover aplicado no capot; o pára-choques dianteiro redesenhado; os farolins por LED exclusivos, combinados com um novo painel em preto brilhante, que incorpora o anagrama Discovery; e as jantes de novo desenho (com dimensões que variam entre as 19” e as 22”).


No interior, as primeiras alterações a reter são o volante multifunções de novo desenho, com quatro braços com acabamento em metal polido novo desenho e botões hápticos; o novo painel de comando do sistema de climatização; e a consola central redesenhada, em cuja base está colocado o sistema de carregamento por indução para smartphones. No túnel de transmissão estão colcocados o novo selector de comando da caixa de velocidades, o comando rotativo do sistema Terrain Response 2 e o interruptor do sistema de infoentretenimento.


Não menos importante, os bancos da segunda fila foram redesenhados para proporcionarem maior conforto aos respectivos ocupantes, para tal contando com maior apoio lateral, uma espuma de maior espessura e um perfil que garante superior apoio para as pernas dos passageiros – a que se junta a nova colocação das saídas de ventilação da segunda fila, que passaram dos pilares B para a consola central, para maior eficácia.


Ao mesmo tempo, e pela primeira vez no Discovery, está disponível para os bancos, como alternativa à pele, um revestimento num novo material sustentável, denominado Luxtec, produzido em microfibra de poliéster reciclada. Sendo que os bancos dianteiros, quando revestidos a tecido, contam com regulações eléctricas de oito vias, passando a oferecer catorze, dezoito ou vinte vias de regulação quando revestidos a pele – podendo, ainda, ser climatizados (refrigerados e aquecidos) e dispor de função de massagem.


Referência, ainda, para o novo acabamento R-Dynamic, que se distingue por vários elementos exclusivos. Nos exterior, marcam presença os pormenores em perto brilhante e cinzento, o pára-choques dianteiro mais baixo e largo, a inserção na cor da carroçaria entre as ponteiras de escape, as jantes com acabamento envernizado e o opcional tejadilho contrastante em preto. Enquanto que, no habitáculo, é o revestimento em pele bitonal dos bancos o principal ponto a reter.


Já a adopção da nova arquitectura electrónica EVA 2.0 permitiu a integração do novo sistema de infoentretenimento Pivi Pro no actualizado Discovery, com ecrã táctil de alta resolução de 11,4”, melhor conectividade e actualizações de software remotas. Ao mesmo juntando-se, neste capítulo, o painel de instrumentos digital configurável de 12,3”, assim como vários ocionais, caso do head-up display a cores e da Activity Key da nova geração (resistente aos coques e à água, até 4 bar, e que passa a incluir um monitor por LCD). Menção, também, para as melhorias operadas nos sistemas de som, seja o proposto de série, com oito altifalantes, sejam os opcionais, de origem Meridian, um com treze altifalantes e 400 Watt, o de topo com quinze altifalantes e 700 Watt.


No que aos sistemas avançados de assistência à condução, estão agora disponíveis dois pacotes. Um chama-se  Driver Assist Pack, e inclui o cruise control daptativo, a monitorização do ângulo morto, o alerta de colisão traseira, o alerta de tráfego cruzado pela traseira e a monitorização de saída segura de um lugar de estacionamento. O outro dá pelo nome de Pack Assistência nos Ângulos Mortos, sendo composto pela monitorização do ângulom morto, a monitorizão de saída segura e o alerta de tráfego cruzado pela traseira.


Passando à oferta de motores, todos se combinam com a caixa automática de oito velocidades e o sistema de tracção integral permanente, fazendo uso a versão de acesso Discovery P300 do conhecido quatro cilindros a gasolina de 2,0 litros da família Ingenium, com 300 cv e 400 Nm. As restantes versões do modelo recorrem às melhoradas variantes dos seis cilindros em linha de 3,0 litros da mesma família, agora dotados de tecnologia mild hybrid, a cargo de um gerador/motor de arranque integrados a 48 Volt, para reduzir emissões e consumos.


A unidade a gasolina do Discovery P360 de topo de gama, com turbocompressor de dupla entrada, compressor eléctrico de 48 Volt e distribuição variável, disponibiliza 360 cv e 500 Nm. Ao passo que as motorizações Diesel, com dois turbos de geometria variável sequenciais e injeccção common-rail a 2500 bar, são utilizadas no Discovery D250 (250 cv e 570 Nm) e no Discovery D300 (300 cv e 650 Nm).


Para que a eficácia dinâmica em todos os tipos de terrenos esteja à altura dos padrões da Land Rover, e do próprio modelo, todos os Discovery contam com sistema de tracção total gerido pelo sistema Terrain Response 2, responsável pela repartição do binário entre os dois eixos dianteiro, complementado pela caixa de transferências (as conhecidas “redutoras”), que pode ser operada em andamento até aos 60 km/h e é proposta de série no Discovery P360, e como opção nas restantes versões. Também de série é o amortecimento pneumático, que permite reduzir a altura a altura do veículo em 40 mm (para facilitar o acesso à mala e o engate de reboques), reduz automaticamente a altura ao solo em 13 mm a velocidades superiores a 105 km/h (para um melhor desempenho em estrada, a suspensão recebeu alterações nas barras estabilizadoras e na direcção), e pode aumentar a altura ao solo em 75 mm, para um máximo de 283 mm, assim incrementando as aptidões TT.


A este propósito, refira-se que o Discovery anuncia um ângulo de ataque de 34°, de saída de 30° e ventral de 27,5°, uma articulação de eixos de 455 mm e uma passagem a vau de 900 mm; ao mesmo tempo que oferece o novo modo de condução Wade, para utilização em águas profundas, o qual selecciona automaticamente a configuração apropriada de acelerador e da suspensão, e trava de forma automática quando este é desactivado, para “limpar” as superfícies de fricção do sistema de travagem. Igualmente disponível, o sistema ClearSight Ground View, a cargo de câmaras instaladas na grelha frontal e nos retrovisores exteriores, as quais oferecem uma panorâmica de 180° da zona oculta que se encontra à frente do veículo, desde que a velocidades inferiores a 30 km/h.


Por fim, os preços a praticar pelo revisto Discovery em Portugal, onde já pode ser encomendado, estando as primeiras entregas a clientes em território nacional agendadas para Fevereiro do próximo ano. Curiosamente, e por via do sistema de tributação vigente, em boa parte assente no desempenho ambiental dos veículos, a versão mais potemte é, ao mesmo tempo, a mais acessivel no mercado português, estando o Discovery P360 disponível entre nós a partir de €86 095, sendo a outra versão a gasolina, o Discovery P300, proposta desde €89 093. Quanto às opções Diesel, o Discovery D250 pode ser adquirido em território luso a partir de €87 854, iniciando-se nos €93 019 os preços do Discovery D300.


Autor: António de Sousa Pereira, Absolute Motors.

Anuncios Recentes

Ver Todos