Galp

Ao volante do novo Hyundai i20 em estradas portuguesas

Publicado por Standocasião há 4 semanas

A nova geração do i20, terceira da história de um modelo originalmente lançado em 2008, foi revelada pela Hyundai em vésperas do que deveria ter sido a edição de 2020 do Salão de Genebra (saiba mais aqui), e que a omnipresente pandemia acabou por ditar o respectivo cancelamento. Entretanto, no início de Novembro, o importador nacional da marca dava a conhecer o preço de lançamento do modelo em Portugal (saiba mais aqui), tendo agora chegado a oportunidade de conhecer a mais recente evolução do utilitário sul-coreano ao vivo e a cores, e de com o mesmo efectuar o primeiro contacto dinâmico, já em estradas portuguesas.


Valerá a pena, a propósito, recordar que este é a primeiro criação do fabricante de Seul destinada à Europa a adoptar a sua nova linguagem de design, exterior e interior, denominada Sensuous Sportiness, e cuja missão reside em harmonizar quatro elementos fundamentais: proporção, arquitectura, design e tecnologia. Com linhas esculpidas, e uma aparência marcante, em boa parte assegurada pelos pára-choques com formas dinâmicas, pela nova grelha, pelas ópticas que exibem uma nova assinatura visual, e pelas jantes de novo desenho, há que reconhecer ao novo i20 um apreciável apelo visual.


Ao mesmo tempo, e face ao seu antecessor, o veículo cresceu 5 mm em comprimento (4040 mm), 30 mm em largura (1775 mm) e 10 mm entre eixos (2580 mm), tendo a altura sido reduzida em 24 mm (1420 mm), o que lhe garante, desde logo, um espaço habitável mais generoso, e uma capacidade da mala aumentada em 25 litros, a qual varia, agora, entre 352-1165 litros. O habitáculo prima, ainda, por uma decoração em consonância com o visual exterior, em que o principal destaque para a original moldura do painel de instrumentos; e por uma conectividade anunciada como a mais evoluída da classe, assegurada por elementos como o sistema de infoentretenimento com ecrã táctil de 8”, ligações Apple CarPlay e Android Auto sem fios, e três toamdas USB; ou o muito informativo e legível painel de instrumentos totalmente digital de 10,25”, com um grafismo bastante convincente, que se altera em função da selecção dos modos de condução Comfort ou Sport.


Como não poderia deixar de ser, a segurança também foi aposta forte da Hyundai com o novo i20, nomeadamente no capítulo dos sistemas avançados de assistência à condução, integrados no chamado Hyundai Smartsense. Contando, neste particular, o modelo com soluções como o alerta de arranque do veículo dianteiro, informação de velocidade máxima permitida, assistente à manutenção na faixa de rodagem, travagem autoónoma de emergência com alerta de colisão e detecção de peões, alerta d fadiga do condutor, estacionamento semi-automático e assistente máximos.


Sendo 4% mais leve do que o seu predecessor, o novo i20 é proposto em Portugal com dois motores a gasolina: 1.2 MPi, de quatro cilindros em linha, com 84 cv e 122 Nm, associado a uma caixa manual de cinco velocidades, e que permite alcançar 173 km/h de velocidade máxima, para um consumo combinado de 5,3 l/100 km e emissões de CO2 de 120 g/km; ou 1.0 T-GDi, um três cilindros turbocomprimido de injecção directa, com 100 cv e 172 Nm, possível de combinar com  a caixa manual de seis velocidades, com ou com a caixa pilotada DCT, de dupla embraiagem e sete relações, que permite anunciar , respectivamente, 188 km/h, 5,4 l /00 km e 122 g/km, ou 185 km/h, 5,5 l/100 km e 125 g/km.


No mercado luso, a Hyundai optou por não comercializar as versões do i20 animadas por motores dotados de tecnologia mild hybrid por considerar que os mesmos, por via da fiscalidade portuguesa, não conseguem oferecer uma relação custo/benefício vantajosa. Mas nem por isso a gama deixará de ser alargada já no segundo trimestre de 2021, seja com a chegada da versão desportiva i20 N, com 204 cv (saiba mais aqui), ou com a introdução dp nível de acabamentos N-Line, mais desportivo, que se juntará aos existentes Comfort, Style Style Plus.


Para um primeiro contacto em estradas portuguesas com o novo utilitário da Hyundai, foi possível dispor de um i20 1.0 T-GDi Style por um par de horas, tempo, naturalmente, insuficiente para avaliar a fundo o modelo em todas as suas valências, mas que não deixou de permitir tirar algumas conclusões iniciais. Logo à entrada no habitáculo, o posto de condução com uma apreciável envolvência, e uma construção marcada pelo recurso apenas a plásticos duros, em que até os que possuem um acabamento acetinado, mais agradável à vista e ao toque, estão longe de ser nobres, valendo ao veículo a proverbial qualidade de montagem e a perfeição dos acabamentos para garantir ao interior uma inequívoca robustez.


Quanto ao motor, começa por convencer pela sua frugalidade, a que junta um funcionamento deveras suave e silencioso, e, principalmente, um desempenho solícito e expedito (mais ainda no modo de condução Sport), para o que é bem coadjuvado pela caixa muito precisa e rápida q.b., e não excessivamente longa, tudo concorrendo para uma agilidade e um desembaraço em meio urbano, e nas deslocações suburbanas, que muito contribui para um elevado agrado de utilização. O comportamento mostrou-se globalmente eficaz, e o conforto de nível superior na maioria das circunstâncias, pese embora o eixo traseiro semi-rígido seja algo sensível aos ressaltos e desníveis mais acentuados, o que acaba por se reflectir na comodidade oferecida aos ocupantes, em particular os do banco traseiro.


Com o objectivo assumido de alcançar o topo do seu segmento em termos de vendas, o novo i209 é anunciado como o modelo comercialmente mais competitivo do mesmo, devido ao preço a que é proposto, ao equipamento, à tecnologia e às soluções segurança que a este está associado, e à garantia mais abrangente mercado – sete anos sem limite de quilómetros, sete anos de assistência em viagem e sete anos de check-ups anuais gratuitos. Na fase de pré-venda, e graças a uma campanha especial de lançamento, válida até 31 de Dezembro próximo, a gama de preços inicia-se nos €14 540 pedidos pelo i20 1.2 MPi Comfort, aqui já se incluindo o apoio concedido pelo financiamento de marca, a cargo da Cetelem, e uma valorização extra de €1250 numa eventual retoma.


A partir de Janeiro de 2021, altura em que o modelo iniciará, em pleno, a sua carreira comercial no mercado português, e as primeiras unidades começarão a ser entregues a clientes, os preços a praticar serão os seguintes: i20 1.2 MPi Comfort – €17 113; i20 1-0 T-GDi DCT Style – €20 473; i20 1-0 T-GDi DCT Style+TT – €20 923; i20 1-0 T-GDi Style – €18 873; i20 1-0 T-GDi Style+TT – €19 323; i20 1-0 T-GDi Style Plus – €20 653.


Autor: António de Sousa Pereira, Absolute Motors.

Anuncios Recentes

Ver Todos