Ensaio Triumph Tiger 900 Versão Rally Pro de 2020 – Uma nova Adventure Touring com vocação para o OffRoad

Publicado por Standocasião há 3 semanas

Uma das motos que em 2020 veio revolucionar o mercado e o segmento das motos Adventure, elevando a fasquia em termos de desempenho, versatilidade, conforto e capacidade OffRoad, é precisamente a nova Triumph Tiger 900, uma moto inteiramente nova e que estabelece novas referências no seu segmento.

Introdução

O enorme sucesso da versão anterior, a Triumph Tiger 800, e a evolução do mercado das motos Adventure, com todas as suas declinações e sub-segmentos, impulsionou os engenheiros da Triumph a criarem uma nova moto, que por um lado pudesse herdar e dar continuidade ao sucesso do modelo anterior, mas que em simultâneo pudesse estabelecer novas referências no seu segmento e enfrentar a actual concorrência, sobretudo aquela que tem mostrado maior dinâmica neste segmento específico de motos com a apresentação de novos modelos, como são exemplo a Honda, a KTM e a Yamaha.

A anterior Tiger 800, ao fim de 10 anos de existência, começava a acusar o peso dos anos e a pedir renovação. Não querendo abandonar totalmente um conceito de sucesso, a Triumph quis manter o AND Tiger 800 no seu novo modelo, aprimorando nas duas novas versões apresentadas este ano, a GT e a Rally, abandonando assim a antiga nomenclatura que designava os modelos por XR ( Road ) e XC ( Cross Country ), as características que definem o âmbito de utilização de cada uma. Ou seja as versões GT passaram a ter uma orientação mais estradista e as versões Rally toda uma ciclística mais orientada para uma pilotagem Offroad.

Neste ensaio optámos por testarmos a versão Rally Pro, pois entendemos que, dada a sua versatilidade e abrangência de utilização, seria talvez a moto adequada para quem pretenda ter apenas uma moto para tudo, deslocar-se no dia a dia em ambiente urbano entre casa e escritório, realizar passeios de fim de semana a solo ou acompanhado e poder enfrentar aventuras mais radicais que incluam percursos mais exigentes for a de estrada.  

Primeira Impressão

Ao olharmos por primeira vez para a nova Triumph Tiger 900 Rally Pro, e tendo em mente ainda a sua versão anterior, vemos claramente que houve uma enorme evolução embora mantenha alguns dos traços e ADN da sua antecessora. Esteticamente a Rally tem agora um perfil mais moderno e estilizado, sobretudo nesta versão de cor Khaki com o quadro a branco que realça a sua estrutura de trelissa, a fazer lembrar a preparação “ Tramontana “ realizada sob base Tiger 800 para competir no Rally de Marrocos. A frente da moto está mais agressiva, com faróis LED mais rasgados que montam luzes diurnas e um écran frontal facilmente ajustável, com apenas uma mão e em andamento, em 4 altura diferentes.

O aspecto geral da nova Tiger 900 Rally é o de uma moto mais leve e menos compacta que a anterior, tendo evoluído para um estilo de moto Rally, caracterizada por uma frente mais alta, com maior proteção anterior, onde está colocado o painel TFT de informação.

Ao sentarmo-nos por primeira vez na Tiger 900 Rally notamos que houve também uma importante evolução em termos ergonómicos. A moto está mais estreita na zona anterior do assento, graças a uma menor largura do quadro na zona das pernas, que nos permite não só chegar com facilidade com os pés ao chão, apesar dos 850mm de altura do seu banco, como também manter uma posição mais encaixada na moto, sobretudo quando conduzimos de pé fora de estrada, permitindo um maior controle da moto e uma maior agilidade em pilotagem mais agressiva.

O guiador largo ao estilo moto Rally proporciona uma posição natural das mãos nos punhos, na extensão dos braços e com os mesmos ligeiramente fletidos, e a sua altura permite também uma posição adequada para pilotagem em pé, ligeiramente pendurada sobre a frente da moto para carregar ligeiramente a roda dianteira, dotando-a de maior aderência e aligeirando a traseira para facilitar o escorregar da mesma e aumentar o controle nas mudanças rápidas de trajectória em condução offroad.

No entanto o objectivo deste teste era o de percebermos melhor o potencial da nova Tiger 900 Rally numa utilização no dia a dia, já que anteriormente, na apresentação oficial do modelo a nível mundial, já tínhamos tido a oportunidade de rodar com a mesma em situações extremas, de areia, pedras e estradas bastante deterioradas. Questões relacionadas com o conforto, a proteção aerodinâmica, a facilidade de condução entre o transito citadino e consumos eram desta vez a nossa prioridade.

Motor, Caixa e Transmissão

O motor da Tiger 900 mantém a sua tradicional configuração de 3 cilindros em linha agora com um aumento de cilindrada para os 888cc, mantendo a mesma potência de 95cv às 8.750 rpm e um binário de 87 Nm às 7.250 rpm. No entanto a nova unidade motora da Tiger 900 nada tem a ver com o comportamento linear e progressivo do anterior motor da Tiger 800.  Os engenheiros da Triumph quiseram alterar por completo o “carácter” do novo motor e dotar a nova Tiger 900 de uma nova personalidade.

No processo de desenvolvimento do novo motor desenharam uma nova cambota em T que provoca um timing de ignição dos cilindros na sequência 1-3-2 em vez do anterior 1-2-3 uma vez que os intervalos de ignição estão agora condicionados pela actuação da cambota o que faz com que o comportamento do motor se assemelhe mais a um 2 cilindros em V , conferindo uma maior resposta nos baixos regimes mas mantendo a subida rápida de rotação característica de um 3 cilindros.

Com esta evolução tecnológica os engenheiros da Triumph conseguiram dotar o motor de mais binário nos baixos regimes e uma resposta imediata ao rodar do punho realidade que confere uma maior aptidão em conduções offroad para a superação de todo tipo de obstáculos.

O novo motor apresenta agora um sistema de arrefecimento mais eficiente, com a colocação de dois radiadores, em vez de apenas um na versão anterior, permitindo que o motor rodasse ligeiramente para a frente melhorando a distribuição de massas e baixando o centro de gravidade.

A caixa de 6 velocidades é precisa e bem escalonada e graças também a uma boa sensibilidade do acelerador Ride by Wire a permitir manter sempre suavidade na condução e uma boa gestão da tração na roda traseira.  O escape é também um novo elemento, com uma sonoridade mais presente a marcar de forma mais evidente o novo carácter do motor da Tiger 900 Rally.

Ciclística, Quadro e Suspensões

No processo de rejuvenescimento da nova Tiger 900 os engenheiros da Triumph deram especial atenção ao novo quadro, dotando-o de maior rigidez mas também de flexibilidade de forma a melhorar a estabilidade da Tiger e também a sua agilidade. O quadro em trelissa de aço é agora mais leve também e modular pois o sub-quadro é em alumínio e fixo ao quadro principal sem ser soldado o que em caso de acidente permite a sua fácil substituição. O quadro é também mais estreito na zona dos joelhos permitindo um melhor encaixe do condutor aumentando a proteção ao vento e tornando a condução em pé mais eficiente e confortável.

As peseiras são também mais amplas e protegidas com borrachas que podem ser retiradas. Por outro lado também o apoio das peseiras do pendura são aparafusadas e não soldadas ao sub-quadro o que permite em caso de viagens longas a solo poderem ser retiradas se assim entenderem.

A nível de suspensões a Triumph optou por umas Showa invertidas de 45mm totalmente ajustáveis ( as da versão GT são Marzochi semi-activas ) quando a versão anterior da Tiger 800 montava suspensões WP. As novas Showa têm um excelente comportamento absorvendo todo o tipo de imperfeições e proporcionando uma boa leitura da estrada e um bom desempenho também fora de estrada. O amortecedor traseiro também da Showa, também totalmente ajustável, permite o ajuste de pré-carga de mola com o simples rodar de um manípulo. O ajuste de fábrica das suspensões pareceu-nos adequado embora pequenos ajustes se possam e devam realizar em função do peso e do tipo de condução que se vá realizar. As suspensões contam com um curso de 240mm e 230mm na frente e atrás respectivamente, ( mais 60mm do que na versão GT de estrada ) e não mostraram demasiado afundamento mesmo em travagens mais fortes.

Travões e Rodas

Nesta matéria a Triumph optou por dotar a sua nova Tiger 900 do melhor que existe no mercado, garantindo segurança, tacto e efectividade na travagem em qualquer circunstância. Na frente a Tiger 900 monta dois discos de 320mm ( como numa moto desportiva ) com pinças Brembo Stylema de 4 pistons e conta obviamente com ajuda do ABS nos 4 modos de motor selecionáveis sendo que apenas no modo OffRoad Pro o mesmo é desligado. Na traseira apenas um disco de 255mm e pinça de 2 pistons complementa o sistema de travagem da Tiger 900.

A Tiger 900 Rally Pro monta jantes raiadas de 21” na frente e de 17” na traseira com pneus Pirelli Scorpion STR Rally, nas medidas 90/90-21” e 150/70-17” respectivamente, pneus que têm um excelente comportamento em estrada e mostraram versatilidade em piso mais solto mas que têm pouca durabilidade. Para condução mais séria fora de estrada, em piso de areia ou lama, recomendam-se pneus de tacos com maior desempenho offroad.

Electrónica e ajudas à condução

Em termos de ajudas electrónicas a nova Tiger 900 Rally Pro conta com um novo IMU de 5 eixos da Continental, que permite realizar toda a gestão das diferentes intervenções electrónicas da moto em micro-segundos nomeadamente o ABS e o ABS em curva e também o controle de tração, funções que vão variando em função do modo de motor previamente selecionado. Os modos de motor são 4+1, Rain, Road, Sport e OffRoad, mais o modo OffRoad Pro, no caso da versão Tiger 900 Rally Pro, modo este que permite desligar todas as ajudas electrónicas, sendo apenas selecionável com a moto parada.

A gestão da aplicação dos diferentes modos de motor é realizada facilmente através de um pequeno joystick direcionável em 5 direções e a navegação realizada com o mesmo e visualizada no enorme painel TFT a cores de 7” é de fácil entendimento e de leitura.

Equipamento

A nível de equipamento a Tiger 900 Rally Pro, a versão topo de gama que pudemos ensaiar vem repleta de funcionalidades e equipamento premium. Conta com faróis auxiliares, barras de proteção laterais, proteção de cárter em alumínio, bancos e punhos aquecidos, função de cruise control, descanso central, 2 tomadas de 12 Volts para carregamento de aparelhos electrónicos e QuickShift bi-direcional. As iluminação é full LED e conta com sistema de luz diurna.

O painel TFT da cores de 7” é toda uma referência no segmento e permite configurações múltiplas de leitura de informação podendo mudar-se o fundo entre o branco e o preto.  A Triumph inclui uma lista extensa de acessórios da marca que permitem a personalização da moto e complementar a Tiger 900 com equipamento opcional específico em função das necessidades do proprietário.

A Triumph Tiger 900 Rally Pro tem ainda a possibilidade de emparelhar com um Smartphone através da sua APP gratuita e tendo assim acesso a todo o tipo de informação e funcionalidades do telefone a partira do painel TFT a cores. O telefone pode ser colocado num compartimento estanque debaixo do banco onde existe ligação a corrente e comandarmos a partir do painel todas as suas funções. Uma das funcionalidades é a Navegação “por setas” tipo as utilizadas nos Road Books de OffRoad. Outra das funcionalidades é a de podermos controlar funções da nossa câmara GoPro.

Conclusão

No final do ensaio realizado concluímos que de facto a nova Tiger 900 nesta versão Rally Pro representa uma enorme evolução em relação ao modelo anterior ( neste caso a Tiger 800 XCA ) tanto a nível da sua ciclística como da sua estética, mais esbelta e agressiva, como sobretudo do seu motor, transfigurado e dotando a Tiger de um comportamento mais vibrante e de uma resposta nos baixo regimes mais evidente, realidade que torna a sua condução mais dinâmica e entusiasmante.

Na perspectiva de poder ser uma moto utilizável para o nosso dia a dia beneficia de um conforto excelente graças à sua ergonomia e assento muito confortável , uma boa proteção aerodinâmica e também de um melhor desempenho no sistema de arrefecimento do motor que com duas ventoinhas que actuam sobre ambos radiadores conseguem extrair de forma eficiente o calor dos mesmos minimizando a exposição do condutor à sua temperatura excessiva. Em dias frios o aquecimento dos punhos e dos assentos dos pilotos e dos penduras são uma mais-valia evidente e em viagem a boa proteção aerodinâmica e o cruise control oferecem um conforto acrescido. Muito importante também o facto de podermos chegar facilmente com os pés ao chão graças a uma menor largura do conjunto assento/ quadro/ depósito na zona onde estendemos as pernas uma vez parados.

Em termos de autonomia a Tiger 900 conta com um depósito de combustível de 20 L que, considerando os valores médios obtidos entre 5,9/6,3 litros/100 Kms garante uma autonomia de cerca de 350 Kms.

Preço, Cores e Opções

A nova Triumph Tiger 900 Rally tem um PVP de 14.200 na sua versão base e de 15.800 na sua versão Rally Pro. As cores disponíveis são 3, Pure White, Saphire Black e Matt Khaki, a versão ensaiada e a única com o quadro em branco.

GOSTÁMOS

  • Agilidade e facilidade de condução
  • Resposta do motor nos baixos e médios regimes
  • Conforto e Proteção aerodinâmica
  • Ajudas electrónicas e facilidade na gestão

A MELHORAR

  • Vibração do motor nos regimes mais altos
  • Ter opção de pneus com 30/70 offroad

Especificações Técnicas

Motor

Tipo de motor – Tricilíndrico paralelo
Cilindrada - 888 cm3
Potência - 95.2 cv às 8750 rpm
Binário - 87 Nm às 7250 rpm
Distribuição - DOHC com 4 válvulas p/ cilindro
Alimentação - Injecção electrónica de combustível sequencial multiponto
Refrigeração – Líquida duplo radiador
Diametro X Curso - 78 x 61.9
Taxa Compressão - 11.27:1

Transmissão

Transmissão final - Corrente
Embraiagem - Húmida, multidisco, assistida e deslisante
Caixa de Velocidades - 6 velocidades com QuickShift

Quadro

Tipo de quadro - Quadro tubular em aço inoxidável, sub-quadro em alumínio aparafusado
Angulo coluna direcção - 24.4 º

Suspensões

Suspensão dianteira - Forquilha Showa invertida 45 mm
Curso dianteiro - 240 mm
Regulações dianteiras – Todo o tipo de ajustes
Suspensão traseira - Unidade de suspensão traseira Showa
Curso traseiro - 230 mm
Regulações traseiras - Ajuste de pré-carga de mola e hidráulico

Travões

Travões dianteiros - Duplo disco de 320mm
Pinças dianteiras - Brembo Stylema 4 êmbolos
Travões traseiros - Disco de 255 mm
Pinças traseiras - Brembo de 1 êmbolo

ABS - Sim, desligável em modo OffRoad Pro

Rodas/Pneus

Diâmetro da jante dianteira - 21 "
Pneu dianteiro - 90/90-21
Diâmetro da jante traseira - 17 "
Pneu traseiro - 150/70-17

Dimensões

Largura - 935 mm
Altura - 1452 mm
Distância entre eixos - 1551 mm
Altura do assento - 850 mm
Capacidade do deposito - 20 L
Peso a seco - 201 kg

Preço e cores disponíveis

Versão Rally Pro  - 15.800 eur
Versão Rally - 14.200 eur

Cores disponíves -  Matt Khaki Green, aquela com que rodámos e a única com o quadro branco, e em Pure White ( branca ) e Saphire Black ( preta )

Concorrência

BMW F 850 GS     853 cc / 95 cv / 229 Kg / 16.000 eur aprox. ( pvp com opções idênticas)
KTM 790 Adventure R     799 cc /  94 cv / 189 kg /  15.120 eur

Honda Africa Twin 1100 L     1.084 cc / 100 cv  / 226 kg / 14.550 eur

Galeria de Imagens ( fotógrafo Pedro Messias / 200 )

Nota: Ensaio publicado na revista #13 Motorcycle Sports - julho/agosto 2020

Anuncios Recentes

Ver Todos