Lucros da Nissan recuam com o Covid-19 e escassez de semicondutores

Publicado por Diogo há 2 meses

A Nissan revelou um lucro operacional de 64,9 mil milhões de ienes e proveito líquido de 47,1 mil milhões de ienes no primeiro trimestre fiscal de 2022, encerrado em 30 de junho, o que representa uma queda de 67,4% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Durante este período, o lucro operacional consolidado foi de 64,9 mil milhões de ienes e a margem de lucro operacional de 3,0%.

A Nissan esclareceu que durante o primeiro trimestre, “um ambiente de negócios extremamente desafiante pressionou os ganhos, uma vez que a produção foi condicionada pelo confinamento em Xangai, causado pela propagação da nova vaga de Covid-19 e pela escassez de fornecimento de semicondutores, enquanto fatores externos, como o aumento dos preços das matérias-primas e dos custos logísticos, também intensificaram o seu impacto”, sublinha o comunicado da marca nipónica.

Apesar disso, a Nissan sublinhou que conseguiu compensar parte do impacto da conjuntura internacional "através de esforços contínuos para melhorar a qualidade das vendas em cada mercado, levando a um aumento das receitas por unidade nos modelos-chave. O foco da Nissan na disciplina financeira e no controlo diligente sobre os custos fixos, em conjunto com a baixa do câmbio do iene, ajudaram a manter as receitas positivas e o lucro ordinário”, conclui a nota.

“No primeiro trimestre, o ambiente de negócios permaneceu mais desafiador do que o esperado. Acreditamos que nosso progresso neste ambiente é a prova de que a base de negócios da Nissan tem sido constantemente fortalecida”, sublinhou o CEO Makoto Uchida.

A Nissan deixou ainda claro que prevê que no próximo trimestre consiga recuperar os volumes de produção.

Novidades

Ver Todas