O mais eficiente de sempre: renovado Opel Astra desde €24 690 Partilhar

O mais eficiente de sempre: renovado Opel Astra desde €24 690

Apresentado no Salão de Frankfurt, o renovado Opel Astra inicia agora a sua carreira comercial em Portugal. O modelo anuncia-se como o mais eficiente da sua história, longa de 83 anos, e já com onze gerações no currículo (levando-se em linha de conta também o Kadett), mas se esta foi a principal preocupação dos técnicos germânicos, nem por isso deixa de registar uma evolução também ao nível dos interiores, do equipamento de série e dos conteúdos tecnológicos.

De sublinhar, igualmente, que a chegada desta actualização do Astra assina o final da integração da actual gama da Opel no portfólio de modelos do Grupo PSA, veículos comerciais incluídos. No total, só em 2019, foram nada menos do que oito as propostas da marca alemã que conheceram novas gerações, ou foram substancialmente renovadas, facto porventura inédito na indústria.

No plano estilístico, as alterações operadas no compacto alemão não foram, propositadamente, substanciais, sendo a mais visível a adopção de ópticas dianteiras por LED em todas as versões, excepto na de acesso à gama, do tipo adaptativo, ou por matriz de LED, consoante os níveis de equipamento. Ainda assim, os retoques operados, a par da introdução de uma cortina activa na grelha frontal, tiveram como fito primordial ajudar a garantir a tão almejada máxima eficiência, aqui espelhada num Cx de somente 0,26, tanto para o cinco portas como para a carrinha Sports Tourer, em qualquer dos casos um valor referencial para o segmento.

No habitáculo é possível encontrar novos acabamentos e revestimentos; uma consola central de novo desenho; um novo painel de instrumentos digital (de série, ou em opção, consoante as versões); novos sistemas de infoentretenimento, todos eles com compatibilidade Apple CarPlay e Android Auto; um sistema de carregamento por indução para smartphones; e, nas vbariantes mais dotadas, um novo sistema de som Bose com sete altifalantes e subwoofer. Ao mesmo tempo, uma nova câmara dianteira já permite ao sistema de travagem autónoma de emergência reconhecer tanto veículos como peões, ao passo que a câmara traseira oferece, agora, uma imagem mais nítida e de superior qualidade.

Ainda assim, os principais trunfos do novo Astra assentam na mecânica revista, mormente na gama de motores e nas caixas de velocidades que os servem. Tanto as duas unidades a gasolina como a opção a gasóleo que compõem a oferta são de três cilindros em linha e totalmente construídas em alumínio, o que lhes permitiu perder cerca de 6 kg face às suas antecessoras, todas contando com veio de equilíbrio, para maior suavidade de funcionamento, injecção directa de combustível, turbocompressor e baixos níveis atrito, o que muito ajuda a explicar a significativa redução de emissões de CO2 pelas mesmas registadas.

Em concreto, na base da gama está o motor 1.2 Turbo de 130 cv e 190 Nm, combinado com uma caixa manual de seis velocidades, que anuncia emissões de CO2 de 99 g/km, ou seja, menos 21% do que anteriormente. Segue-se o 1.4 Turbo de 145 cv e 236 Nm, dotado de uma bomba de água e de uma válvulas wastegate de actuação eléctrica, propulsor só disponível com caixa CVT de variação contínua e sete relações pré-programadas, e no nível de equipamento de topo. Quanto ao 1.5 Turbo D a gasóleo, disponibiliza 122 cv e 300 Nm, anuncia emissões de CO2 de 92 g/km quando combinado com a caixa manual de seis velocidades proposta de série, em opção podendo dispor de uma nova caixa automática de nove relações, de dimensões equivalentes à anterior de apenas seis velocidades.

Para tornar a condução mais aprazível, o Astra também recebeu novas afinações de châssis, incluindo novos amortecedores. Nas versões de pendor mais desportivo, a direcção conta com uma calibragem distinta, os amortecedores são mais firmes e o eixo semi-rígido traseiro usufrui de um paralelogramo de Watt, para maior precisão.

A redução das emissões de CO2 registada pelo novo Astra não só torna o modelo ambientalmente mais compatível, como garante custos de utilização mais contidos e, não menos importante, uma muito menor penalização fiscal, factor determinate para que os preços pudessem voltar a ser competitivos face à concorrência. Numa gama articulada entre três níveis de equipamento, o Astra 1.2 Turbo está disponível a partir de €24 690 na versão Business Edition (Sports Tourer €25 640), de €25 940 na versão GS Line (Sports Tourer €26 890) e de €29 940 na versão Ultimate (Sports Tourer €30 890). Já o Astra 1.4 Turbo Ultimate está orçado em €33 290 no caso do hatchback, e em €34 240 no caso da carrinha.

Quanto ao Astra 1.5 Turbo D, custa €28 190 na versão Business Edition (Sports Tourer €29 140), €29 440 na versão GS Line (Sports Tourer €30 390) e €33 440 na versão Ultimate (Sports Tourer €34 390). O nível de equipamento de topo é o único a poder contar, em opção, com caixa automática, passando, neste caso, os preços a ser de €36 290 e €37 240, respectivamente.

Resta referir que a inclusão de um equipamento de série generoso é outra das apostas da Opel para o renovado, que em todas as versões inclui já sensores de luz e chuva, vidros eléctricos nas quatro portas, ar condicionado, fixações Isofix, cruise control com limitador de velocidade, sensores de estacionamento, espelhos eléctricos e aquecidos e jantes de liga leve. Com o nível de topo a oferecer, entre outros, ópticas por matriz de LED, bancos ergonómicos revestidos a Alcantara, painel de instrumentos digital e acesso e arranque sem chave.


Anúncios Recentes


Citroën 2CV AZ
27 500 € - 1 200 km - 1955
MINI One D 1.6 Countryman
12 750 € - 125 870 km - 2012
BMW 320 D
12 500 € - 247 000 km - 2007
  • há 6 meses